Psicomotricidade

A Psicomotricidade é uma terapia de mediação corporal que incide sobre relação entre a motricidade e a vida emocional. Esta terapia pretende ajudar a criança a aumentar a consciência do seu corpo, procurando entender as interações entre a sua motricidade (variação do tónus, posturas e movimento) e o seu psiquismo (emoções, compreensão, imaginação e intenção).

O psicomotricista tem o papel de compensar uma problemática situada na convergência do psiquismo e do somático, intervindo sobre as múltiplas impressões e expressões do corpo, analisando o significado simbólico da ação.

Indicações

• Dispraxia (descoordenação, dificuldades no planeamento gestual)

• Perturbações do esquema corporal, imagem corporal, lateralização e estruturação espácio-temporal

• Desarmonias tónico-emocionais

• Instabilidade postural

• Dificuldades de comunicação e de contacto

• Inibição excessiva, hiperatividade e agressividade

• Promoção da Auto-estima

• Perturbações Regulatórias

• Tiques, gaguez, mutismo seletivo

• Dislexia, disortografia e discalculia (dificuldades na leitura, na escrita, e na matemática, alterações grafomotoras)

• Perturbações do desenvolvimento

• Défices da atenção, memória, organização percetiva e simbólica

• Promoção do Desenvolvimento psicomotor

GERONTOPSICOMOTRICIDADE

A Gerontopsicomotricidade é a prática psicomotora dirigida ao idoso. Esta tem o papel de desenvolver a atividade percetivo-motora e relacional do idoso, de forma a retardar os processos de deterioração psicobiológica, comumente relacionados com a perda de autonomia e motivação.

O Psicomotricista utiliza técnicas de relaxação, expressão corporal e plástica, atividades de equilíbrio e coordenação, de praxia fina e global e de estimulação mnésica com intuito de permitir ao idoso a redescoberta do seu corpo e do seu movimento, imprescindíveis para a sua autonomia. O Psicomotricista permite assim consciencializar a pessoa idosa para as suas competências, potencializando-as.

Objetivos

• Possibilitar um envelhecimento ativo, participativo e positivo

• Promover a vivência do prazer pelo movimento, pela comunicação, pela representação e pelas vivências corporais em sessões de grupo

• Desenvolver fatores de proteção e hábitos saudáveis no idoso, que o protejam dos fatores de risco que levem a uma velhice prematura e incapacitante

• Atualizar a representação mental das experiências corporais, proporcionando sensações que deem prazer ao idoso, favorecendo o seu esquema corporal e as modificações na sua imagem corporal

(Tuzzo et Mila, 2008)

Indicações

• Perturbações do esquema e imagem corporal

• Perturbações psicomotoras específicas (dificuldades no equilíbrio, na coordenação espácio-temporal, na capacidade de representação, na lateralização, nas praxias (final e global))

• Doença de Parkinson, Alzheimer e outros estados Demenciais

• Regressão Psicomotora

• Quedas frequentes

• Desinvestimento corporal.